Sindesp-RJ oferece palestra sobre passivos trabalhistas

Sindesp-RJ oferece palestra sobre passivos trabalhistas

Sindesp-RJ oferece palestra sobre passivos trabalhistas

Especialista em Processo do Trabalho indica como reduzi-los uma em uma empresa

Representantes de diversas empresas de segurança privada do Rio de Janeiro se reuniram, no dia 17 de maio, no auditório do Sindesp-RJ, para ouvir a advogada Raíssa Bruna Máximo de Magalhães, especialista em Direito e Processo do Trabalho.

Ciceroneado pelo Diretor Executivo do Sindesp-RJ, Mario Martins Filho, o evento começou com uma apresentação da Assessora Jurídica Interna da Federação Nacional das Empresas de Segurança e transporte de Valores (Fenavist), Soraya Cardoso Santos, sobre o projeto Fenavist Negócios, que, através de parcerias negociadas pela Federação, oferece as melhores vantagens às empresas de todo o país. “E cria mais possibilidades para que as empresas se fortaleçam”, ressaltou Soraya.

Em seguida, com o tema Como reduzir os passivos trabalhistas de acordo com a nova legislação, a Dra. Raíssa iniciou a palestra e, dentre informações jurídicas, chamou a atenção para a importância do assunto ser bem cuidados pelas empresas.

Passivo trabalhista é a soma das dívidas que são geradas quando um empregador, pessoa física ou jurídica, não cumpre suas obrigações trabalhistas ou não realiza o recolhimento correto dos encargos sociais. Em resumo, é o conjunto das cobranças realizadas em caso de reclamações trabalhistas, fiscalizações do INSS, do Ministério do Trabalho e Emprego ou do Ministério Público do Trabalho.

“Empresas que não adotam práticas de gestão de pessoas para minimizar seus passivos trabalhistas, podem comprometer boa parte de seus recursos financeiros com o pagamento de pesadas indenizações na Justiça do Trabalho”, disse ela. ” Uma relação entre empregadores e empregados pautada no respeito, confiança e no cumprimento da legislação pode diminuir o passivo trabalhista de uma companhia. É importante que o RH e departamento jurídico trabalhem em parceria, para que a companhia sempre aja de acordo com as normas e leis trabalhistas”, completou a advogada.

FOTOS – JORGE BAUMANN